Postado Por : Vilhena VEC 19 fevereiro 2013

Fundado no dia 3 de Junho de 1991, o Vilhena Esporte Clube, ou simplesmente VEC, como é conhecido, é hoje o melhor time de Rondônia. Em ranking divulgado em dezembro passado pela Confederação Brasileira de Futebol, CBF, aponta que o time vilhenense está entre os melhores do país, ocupando a 77º posição (913 pontos), a frente de equipes tradicionais como Volta Redonda e Bangu do Rio de Janeiro.

Quando o assunto é região norte, a posição do VEC melhora ainda mais. Somada as pontuações dos times da região, o Vilhena é o oitavo melhor, atrás apenas de times centenários como o Paysandu-PA, Sampaio Corrêa-MA, Águia-PA, Rio Branco- AC, Remo-PA, Penarol-AM, Araguaína-TO.  

Além do Vilhena, apenas mais três times rondonienses aparecem entre os 220 melhores do país. Espigão com 250 pontos ocupa a 155º posição, Genus  na 202º (108 pontos) e a extinta Ulbra que ocupa a 219º (50 pontos). O que deixa o Lobo do Cerrado em primeiro lugar no estado de Rondônia.


Embora seja uma surpresa para torcedores de outros times do estado, a destacada posição diante da entidade máxima do futebol brasileiro é natural para os apaixonados torcedores Lobos do Cerrado, tendo em vista os bons resultados obtidos pelo time ao longo das últimas oito temporadas.

Desde 2005 o Vilhena vem acumulando bons resultados no campeonato estadual que disputa ano a ano. De lá para cá, foram três títulos (2005, 2009 e 2010), dois vice-campeonatos (2006 e 2008), e três terceiro lugares (2007, 2011 e 2012).

2005, ANO DO PRIMEIRO CANECO

O primeiro título veio encima do maior vencedor de campeonatos do estado, o Ji-Paraná. Depois de perder no Biancão por 2 a 1, o VEC decidiu no Portal da Amazônia seu destino. Com o apoio da torcida o Lobo do Cerrado goleou o Galo da BR, 4 a 2. Com direto a carreata pelas principais ruas da cidade.

Neste ano o time era comando por Yonai da Luz, três vezes campeão em Rondônia. Em campo o Lobo enchia os olhos de quem acompanhava os jogos, com jogadas rápidas e toque de bola envolvente que sempre terminava em gols dos atacantes Jorge Efrain e Ednaldo.

No elenco desse ano ainda tinha como titular o goleiro Rocha, zagueiro Simônio e meio-campista Miro. 


BICAMPEÃOOOO

Depois de amargar dois vice-campeonatos e um terceiro lugar o time do sul de Rondônia voltou a subir no lugar mais alto do pódio em 2009. O título veio depois de um campeonato cheio de altos e baixos.




No primeiro jogo da final contra o Genus de Porto Velho uma derrota por 2 a 1. A partida foi de baixo de muita chuva no estádio Aluízio Ferreira na capital. No jogo de volta e nos domínios o Lobo não deu chance à limitada equipe do Genus, vitória por 4 a 1, com estádio Portal da Amazônia completamente lotado.






ÚLTIMO TÍTULO

Há quase três anos o Lobo do Cerrado conquistava o tricampeonato estadual. Em 2010 o time era praticamente o mesmo do ano anterior, reforçado com algumas peças que fizeram a diferença ao longo da temporada.

Desta vez a final era contra o Ariquemes, time do Vale do Jamari, que o VEC já havia vencido na primeira fase da competição. Animada pela primeira final do Ariquemes a torcida local foi em massa ao estádio Gentil Valério, mas as lembranças não foram boas para o time da casa.

Mesmo e menor número com dificuldades para chegar até Ariquemes (um torcedor do VEC morreu durante a viagem), a torcida compareceu em bom número.


Os dois tempos do jogo foi dominado amplamente pelo lobo que venceu sem maiores dificuldades o adversário por 2 a 1.

Na partida de volta, desta vez no Portal da Amazônia, um susto. Depois de um primeiro tempo espetacular, com o Vilhena pressionando o Ariquemes o Lobo foi para o vestiário com uma vitória parcial de 2 a 1, gols marcados pelo atacante Augusto Cesar e o meia Edilsinho, Cesar Baiano descontou.

Na volta, o atacante Souza, fez mais um para o VEC, 3 a 1, ampliando ainda mais a vantagem que na soma dos resultados estava em 5 a 2. 

Depois de algumas substituições por parte do Vilhena, nos quinze minutos finais o Ariquemes foi para cima e desperdiçou várias chances de encostar no placar. O time auriverde ainda teve um gol anulado, que os jogadores reclamaram bastante.


Sem se abater em campo o Ariquemes não se importou com a pressão da torcida do Vilhena e conseguiu empatar a partida em 3 a 3. Com o resultado a equipe visitante precisava apenas de mais um gol para decidir o título nos pênaltis. A essas alturas e se poder de reação o Lobo se segurava a espera do apito final, que veio aos 48 minutos, para delírio da torcida.


COPA DO BRASIL

Neste meio tempo o clube acumulou quatro participações na Copa do Brasil, segundo maior campeonato de futebol do país. Na primeira participação o Vilhena foi eliminado no primeiro jogo pelo Fortaleza-CE ao ser derrotado por 3 a 1 no estádio Portal da Amazônia.

Em 2009 o VEC teve pela frente a Ponte Preta, desta vez foram duas partidas. No primeiro confronto, jogando em casa o Lobo perdeu por 2 a 1 para a Macaca, graças a espetacular atuação do goleiro do time paulista. Aranha fez grandes defesas garantindo a vitória do seu time. 

No jogo de volta em Campinas-SP, a diretoria do Vilhena tentou suspender a partida, já que oito jogadores time haviam contraído uma virose. Com a negativa da CBF o time entrou em campo e foi derrotado por 6 a 1, sendo eliminado da competição.

No ano seguinte o Lobo voltou a representar Rondônia na competição nacional. O adversário desta vez era o poderoso Atlético-PR, que desembarcou em Vilhena dizendo que eliminaria o jogo de volta. Mas o furacão conheceu a força do VEC dentro do Portal da Amazônia.

Depois de sair na frente no placar, com um gol de cabeça do zagueiro Rodolfo, o campeão Brasileiro de 2001, viu o “desconhecido” Vilhena empatar a partida e logo em seguida virar o jogo. Depois de muito sufoco do Vilhena, o Atlético “achou” um gol com o volante Chico, decretando o placar final em 2 a 2. Na partida de volta, jogando na Arena da Baixada e abaixo do esperado o VEC foi derrotado por 4 a 0.

Em 2011 o time teve mais uma oportunidade de enfrentar outra tradicional equipe do futebol brasileiro, desta vez o Avaí-SC. 

Com o time renovado e comandado pelo jovem treinador Thiago Batizoco, o VEC não jogou bem e foi eliminado logo no primeiro confronto. Em noite inspirada o experiente atacante Willian, com passagens pelo Santos e Grêmio, e o rápido Rafael Coelho, ex-atacante do Vasco, comandaram a vitória por 3 a 0 do time avaíano.



SÉRIE D
O Vilhena disputou também por duas vezes a Série D do Campeonato Brasileiro. Na primeira participação em 2010, o time estreou com vitória sobre o Náuas do Acre. Jogando fora de casa, em Mâncio Lima, o VEC bateu o time acriano por 2 a 0.

Na primeira partida no Portal da Amazônia perdeu para o Misto de Cuiabá por 2 a 1. O Lobo foi quem saiu na frente com um gol de falta do meia Robinho ainda no primeiro tempo.

Na etapa final o time não jogou bem e cedeu o empate logo no início. Faltando 10 minutos para o fim da partida veio à virada, 2 a 1 Misto.

O terceiro adversário foi o Vila Aurora também do estado do Mato Grosso. Foram duas partidas seguidas contra o Vila e duas derrotas. Primeiro 2 a 0 em Rondonópolis. A segunda foi por 1 a 0 jogando em Vilhena.

No quinto compromisso vitória por WO contra o Náuas, que já eliminado da competição não veio à Vilhena. No último compromisso, desta vez contra o Misto e nova derrota. A

pesar de pressionar a equipe mistense que jogava em casa no estádio Dutrinha, o VEC perder por 1 a 0 e deu adeus a competição.


CAMPANHA HISTÓRICA

  
A segunda participação na Série D aconteceu em 2012, dessa vez a história seria diferente. Estreando em seus domínios o desacreditado VEC surpreendeu o todo poderoso Clube do Remo do Pará, ao golear o Leão por 4 a 2.

Depois da vitória surpreendente veio o balde de água fria, perdeu duas partidas seguidas jogando fora de casa. A primeira derrota foi por 1 a 0 para Penarol do Amazonas. Logo depois, jogando em Boa Vista-RR, foi derrotado e por 3 a 1 pelo Náutico de Roraima.

O troco veio logo em seguida. O VEC fez dois jogos seguidos no Portal da Amazônia contra esses mesmos adversários. Bateu o Náutico por 3 a 1 e três dias depois foi a vez do Penarol cair diante do Lobo do Cerrado, 2 a 1.

A quarta vitória veio fora de casa contra o até então favorito Atlético acriano. Depois de ser dominado todo o primeiro tempo pelo Atlético no estádio Arena da Floresta, no segundo tempo foi o Vilhena quem dominou e garantiu a vitória com gols de Marcos Cucaú e Cabixi.

No jogo de volta, o Lobo venceu sem maiores dificuldades o próprio Atlético, 4 a 0, e de quebra, garantindo a classificação antecipada para a segunda fase e a liderança do grupo A1.

No o último jogo da primeira fase o confronto foi diante do Remo. Com mais de 20 mil pessoas no mangueirão o VEC foi derrotado por 2 a 1, depois de começar o jogo assustando o time adversário.


OITAVA DE FINAL

Agora na segunda fase e embalado pela melhor campanha de um time de Rondônia na Série D do Brasileirão, o Vilhena recebeu em casa o time de melhor campanha da competição, o Sampaio Corrêa do Maranhão. 

Em uma parida que aconteceu de baixo de muita chuva, os dois times buscavam a todo o momento a vitória. Foram várias oportunidades desperdiçadas pelos dois lados. O primeiro tempo não saiu do zero.

Na etapa final, o jogo continuou no mesmo ritmo, até que o meia atacante, Edilsinho, acertou um belo chute de fora da área fazendo um golaço, 1 a 0 VEC.

Tentando buscar o empate o técnico, Flávio Araújo, mandou o time do Sampaio Corrêa para cima. A pressão deu certo, numa saída errada a defesa perdeu a bola e o rápido atacante Pimentinha empatou o jogo, 1 a 1.

O troco veio cinco minutos depois, em cobrança de escanteio a favor do Vilhena, o zagueiro Mário cabeceou para os fundos da rede. A partir daí, o Lobo do Cerrado cadenciou o jogo e só esperava o apito final para comemorar a vitória.

Mas no último ato do espetáculo, o que era festa virou drama. Aos 46 minutos do segundo tempo em uma bola jogada na área, Mário tentou tirar, mas, mandou para as redes, gol contra, 2 a 2, e fim de jogo.


No jogo de volta na reinauguração do Castelão, diante de 50 mil pessoas o Vilhena foi pressionado nos primeiro 20 minutos de jogo. Até que aos 25  o atacante Cabixi aproveita bobeira da zaga maranhense para encobrir o goleiro, fazendo 1 a 0, e calando a torcida.

No segundo tempo o Sampaio não demorou muito para empatar, logo aos dois minutos, Pimentinha deixou o placar igual, 1 a 1. Depois foi questão de tempo para a forte equipe do Maranhão ampliar, e confirmando a goleada sobre o Vilhena por 4 a 1. 

Com a derrota o Lobo do Cerrado deu adeus à competição. Já o Sampaio Corrêa seguiu adiante e sagrou-se campeão da quarta divisão do campeonato Brasileiro.


De acordo com o site da CBF para elaborar o ranking nacional de clubes, levou-se em consideração os resultados obtidos pelos times em campeonatos estaduais, competições nacionais e internacionais nos últimos cinco anos.

Outro retrospecto favorável ao Vilhena e a força que o time tem quando joga em seus domínios, no estádio Portal da Amazônia. A partir do primeiro título, em 2005, foram realizadas 70 partidas oficias pelo Campeonato Estadual, Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro. Foram apenas 10 derrotas, sendo cinco no rondoniense, três na Copa do Brasil e duas na Série D.

Fonte: Blog do Torcedor
Fotos e vídeos: Divulgação/Internet

One Response so far.

  1. João Eduardo escreveu:

    Sensacional essa materia

Deixe um Comentario

ATENÇÃO! Comentários anônimos podem NÃO ser publicados. Se possível, identifique-se para melhor interação com os usuários

Subscribe to Posts | Subscribe to Comments

Tecnologia do Blogger.

MUSEU VIRTUAL

COMPAREÇA AOS JOGOS

COMPAREÇA AOS JOGOS

FUTEBOL DE RONDÔNIA

OFERTAS

LOBOS DO CERRADO

Arquivo

Copyright © Vilhena Esporte Clube - Blog do Torcedor - Criado por João Eduardo Caldeira - Design por Patricky Gabriel Sarturi